O amor

Se o amor tivesse definição, fosse quantificável, palpável, pesável até, era tão fácil usa-lo. Abusa-lo até. Como ir a mercearia e comprar um quilo ou um litro. Com peso exato, com medida certa, com balança de pratos alinhados. E a vida seria tanto de feliz quanto do peso que se quisesse adquirir.
Mas o amor é muito mais do que peso ou quantidade. O amor é a definição dos poetas, tantos e todos, que de tantas maneiras diferentes o definem, e nem o infinito chega para o enquadrar. Há amores de todas as maneiras e feitios, de todas as dimensões e medidas, e cada coração sabe quantos pedacinhos e de que tamanho lá cabem.
Revela-se o amor.
É o abraço apertado. Longo. O beijo húmido e quente. Os beijos doces e meigos. O olhar sereno. O sorriso aberto. O silêncio. A palavra certa.
O momento certo. O momento.
O amor é isto.

Sobre Regina

Acerca de mim? Sei lá! Tenho dias… Dias bons, dias maus! Momentos. As nossas vidas são feitas de momentos… Este espaço? É meu. Sobre mim. É o meu espelho… Disseram-me que o meu sorriso é o Espelho da minha Alma. E eu concordo.
Esta entrada foi publicada em Pensamentos com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s