Ser generoso…

Sou mãe. Já tenho referido aqui que a coisa que mais gosto na vida é de ser mãe. Adoro o desafio que a maternidade me trouxe, os prazeres que daí retiro, a satisfação por formar, educar, ajudar a construir dois seres, que resultam em duas pessoas maravilhosas e que me dão tanto e me enchem o coração. As minhas filhas tornaram-me melhor pessoa. Muito melhor.
Para além de todos os prazeres que me dão, tenho ainda o orgulho, todo o orgulho nelas. Admiro-as pela sua personalidade, pelos valores que lhes transmiti e transmito todos os dias e que elas valorizam e correspondem. Não há defeitos que lhes aponte, porque lhes reconheço apenas poucas características que poderão ser melhoradas. A minha forma de ser e de as educar fá-las serem pessoas atentas, bem formadas, com sensibilidade e muito bom senso, responsáveis, equilibradas e de mente muito pura e saudável.
Isto resulta em que ambas são pessoas muito generosas. As minhas filhas são boas. Têm bons instintos, são humildes, são colaborantes com os outros, amigas, prontas a ajudar, honestas, sinceras, e muito justas.
A generosidade e a justiça sempre foram características que aprecio. Eu própria acho que nunca fui tão generosa assim. Sempre as incentivei a serem assim, sempre tive um discurso e um diálogo muito aberto, muito franco e muito honesto com elas e sempre as admirei por levarem a cabo virtudes que parecem cada vez mais em desuso.
Mas, há dias em que me questiono!
Há dias em que penso que talvez não as devesse incentivar a tanto, porque receio que venham a sofrer por serem assim! Têm passado por circunstâncias menos boas que a solidez da nossa relação familiar suporta, aguenta e fá-las manterem-se íntegras e fiéis a si próprias. A minha dúvida essencial é se valerá a pena! Valerá a pena educa-las e ajuda-las a serem assim, direi, um pouco diferentes dos restantes? Com pequenas nuances relativamente aos seus pares. Terão elas um bom retorno do seu investimento em si próprias e nas suas capacidades de dádiva, de solidariedade, de companheirismo e de amizade?
Por enquanto ainda acho que sim. Por enquanto ainda gosto que sejam assim. Por enquanto ainda não me quero arrepender de as incentivar, apoiar e ajudar a reforçar estas características. Mas, vivemos num mundo tão diferente e tão injusto, que às vezes me pergunto se a minha forma de educar será a melhor!

Sobre Regina

Acerca de mim? Sei lá! Tenho dias… Dias bons, dias maus! Momentos. As nossas vidas são feitas de momentos… Este espaço? É meu. Sobre mim. É o meu espelho… Disseram-me que o meu sorriso é o Espelho da minha Alma. E eu concordo.
Esta entrada foi publicada em Pensamentos com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s