Sou uma montanha russa

Um dia uma amiga dizia-me que pareço uma montanha russa…tão depressa em cima, tão depressa em baixo! E é verdade! Eu estou muitas vezes cá em baixo, em desespero, em tristeza, em agonia… por razões várias, que classifico de profundas e sérias! Problemas todos têm, vidas complicadas muitos têm, e vamos todos vivendo! Quando oiço relatos de outros, deixo de ter pena de mim… É coisa de português, pensar que há sempre quem esteja pior! Ainda bem, é sinal de que sentimos os problemas dos outros…
Os meus, agora não interessam porque eu comecei a falar na montanha russa… E se comecei o dia de ontem lá no fundo, bem no fundo, a lamentar-me e a armar-me em parva com as minhas lamúrias… Acabei-o cheia de alegria e satisfação. Satisfeita com o resultado da educação que transmito às minhas filhas. Satisfeita com os príncipios e valores que prevalecem na minha casa. Satisfeita com o diálogo que mantemos todos cá em casa, com a abertura e com a clareza, sinceridade, confiança e responsabilidade que alimentamos, todos.
Orgulhosa é o termo. Não encontro outro! Orgulho-me do nosso trabalho com elas, orgulho-me da recetividade e responsabilidade delas.
Educar é um desafio, uma constante, uma incerteza, uma tarefa árdua, difícil, exigente e uma dúvida frequente. Não existem receitas! Há sensibilidade e bom senso, há investimento e firmeza, diálogo e carinho, amor e amor e amor…
Choro de alegria quando oiço os elogios, quando vejo os resultados, quando sinto o carinho. Fico lá em cima no alto da montanha a saborear…
Sabe-me tão bem!
Sabe-me bem pensar que elas gostam de mim, que gostarão sempre de mim e que sentem satisfação por me terem como mãe… Sabe-me bem saber que há pais e filhos que têm coisas boas, que têm amor e carinho mútuos, que têm orgulho e satisfação mútuos e que as suas vidas comuns são razão de felicidade.
Sabe-me bem ser para elas aquilo que nunca tive. Sabe-me bem mostrar-lhes o meu amor. Sabe-me bem ser uma verdadeira mãe, presente, atenta, carinhosa, amiga, preocupada e orgulhosa.
As minha emoções são tão confusas, porque eu choro de alegria por um lado e de tristeza por outro…
As minhas filhas, felizmente, não têm noção das dores que tantas crianças têm, das carências que tantas crianças têm, do quanto custam as feridas no coração…
Nós ensinamo-las que não precisam de ter muitas coisas materiais para serem felizes, precisam de valorizar aquilo que têm… e sobretudo o que é bom – os sentimentos… o que não têm, não lhes faz falta nenhuma!
Oxalá, consigamos todos manter sempre este equilíbrio.

Anúncios

Sobre Regina

Acerca de mim? Sei lá! Tenho dias… Dias bons, dias maus! Momentos. As nossas vidas são feitas de momentos… Este espaço? É meu. Sobre mim. É o meu espelho… Disseram-me que o meu sorriso é o Espelho da minha Alma. E eu concordo.
Esta entrada foi publicada em Pensamentos com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s