O Som do Silêncio

Gosto do Som do Silêncio.
Escuta-me a Alma, Ouve-a.
O Silêncio é um bom conselheiro. É o único que nos sabe aconselhar.
Nós, às vezes, esquecemo-nos de nos ouvir a nós próprios.
E o silêncio permite que façamos uma introspecção sobre os nossos comportamentos, as nossas atitudes, os nossos pensamentos, os nossos estados de alma.
É é tão bom…
É bom analisarmo-nos, avaliarmo-nos, questionarmo-nos.
Permite-nos corrigir, permite-nos melhorar.
O Silêncio é um excelente conselheiro, o melhor que poderemos encontrar.
É por isso que às vezes falo no tempo e no espaço de cada um. Todos precisamos deles. Para ouvirmos o nosso silêncio e escutarmos a nossa Alma.
Ouvir e Escutar parece ser o mesmo, mas não é. Tantas vezes ouvimos, mas não escutamos. E se estivermos atentos, há tanta coisa para escutar.
Durante alguns anos partilhei uma casa onde o meu espaço era apenas o meu quarto. E adorava lá estar, no meu silêncio.
E hoje ainda gosto de estar no silêncio do meu quarto. Do meu, não, do nosso quarto.
E, numa casa com crianças, silêncio, é coisa difícil de obter, mas, eu consigo estar no nosso quarto, no silêncio do nosso quarto, a ouvir a minha Alma, mesmo com imenso ruído à volta.
E a minha Alma diz-me tanta coisa bonita…
Às vezes, dá-me umas tareias valentes, mas eu preciso delas, para melhorar.
Há pessoas que não conseguem ouvir a sua Alma! Porque será?
Será que não sabem ouvir o silêncio?
 

 

The Sounds Of Silence – Simon & Garfunkel

(fechem os olhos, oiçam a melodia e escutem o silêncio – É Magnífico)

    

 

O Som do Silêncio:

Olá escuridão, minha velha amiga
Eu vim para conversar com você novamente
Por causa de uma visão que se aproxima suavemente
Deixou suas sementes enquanto eu estava dormindo
E a visão que foi plantada em minha mente
Ainda permanece
Entre o som do silêncio

Em sonhos agitados eu caminhei só
Em ruas estreitas de paralelepípedos
Sob a áurea de uma lamparina da rua
Virei minha gola para frio e umidade
Quando meus olhos foram esfaqueados pelo flash
De uma luz de néon
Que rachou a noite
E tocou o som do silêncio

E na luz nua eu enxerguei
Dez mil pessoas talvez mais
Pessoas conversando sem estar falando
Pessoas ouvindo sem estar escutando
Pessoas escrevendo canções
Que vozes jamais compartilharam
Ninguém ousou
Perturbar o som do silêncio

“Tolos,” digo eu, “vocês não sabem
O silêncio como um câncer cresce
Ouçam as palavras que eu posso lhes ensinar
Tomem meus braços que eu posso lhes estender”
Mas minhas palavras
Como silenciosas gotas de chuva caíram
E ecoaram no poço do silêncio

E as pessoas se curvaram e rezaram
Para o Deus de neon que elas criaram
E um sinal faiscou o seu aviso
Nas palavras que estavam se formando
E o sinal disse
“As palavras dos profetas
Estão escritas nas paredes do metrô
E nos corredores dos conjuntos habitacionais
E sussurraram o som do silêncio

Anúncios

Sobre Regina

Acerca de mim? Sei lá! Tenho dias… Dias bons, dias maus! Momentos. As nossas vidas são feitas de momentos… Este espaço? É meu. Sobre mim. É o meu espelho… Disseram-me que o meu sorriso é o Espelho da minha Alma. E eu concordo.
Esta entrada foi publicada em Pensamentos com as etiquetas , , . ligação permanente.

Uma resposta a O Som do Silêncio

  1. albano diz:

    o barulho do silencio faz bem a nossa alma e ajudam a alinhar os nossos pensamentos e as nossas decisoes. lindo , adorei.mob

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s